É uma raça bastante popular e querida, principalmente para quem vive em apartamentos.
Quando chegados à família, passam a ser a alegria lá de casa.
Se têm curiosidade sobre o Bulldog Francês, descubram como esta raça apareceu e que cuidados especiais de saúde são necessários para manter saudáveis estes patudos brincalhões .

Bulldog Francês

O primeiro clube da raça Bulldog Francês apareceu no final do século XIX, sendo anos mais tarde reconhecida oficialmente como raça, em França.
Antes do seu aparecimento, existia apenas um tamanho de Bulldogs na Grã-Bretanha, sendo os exemplares mais pequenos rejeitados. Essa variação mais pequena de Bulldogs teve uma maior aceitação em França onde, a partir de diferentes cruzamentos com outras raças mais pequenas, acabaram por se tornar populares.
Antes de se tornarem numa raça de companhia, eram usados como iscos para touros, em desportos sangrentos.

Tornaram-se bastante populares, também em Inglaterra, quando apareceram em pinturas de DegasToulouse-Lautrec.

Tamanho:

São cães de tamanho médio.

Medem entre 25 a 35 cm e pesam de 8 a 14 kg, sejam machos ou fêmeas.

Pelagem:

Têm um pelo muito curto, sendo normalmente brilhante e macio.

Quanto à cor, existem Bulldogs de várias cores: o preto, o dourado e duas cores – preto e branco – são os exemplares mais encontrados.

Esperança média de vida:

Um Bulldog Francês vive em média entre 10 a 12 anos.

É por natureza uma raça de companhia. São alegres, companheiros, brincalhões e procuram sempre o afeto e a atenção de toda a família. Um Bulldog Fancês é um ótimo cão para quem tem crianças.
Tal como os cães de raças com focinho achatado, o Bulldog Francês costuma roncar bastante, sendo uma das suas características mais marcantes.
Em contrapartida, ladram muito pouco, o que acaba por ser uma vantagem para quem vive em apartamentos.

Apesar de ser um cão brincalhão e de ter picos de energia durante o dia, a verdade é que esta é uma raça que não necessita de muita atividade física.

Para treinar um Bulldog Francês é preciso uma boa dose de paciência e perserverância pois, apesar de inteligente, esta raça é ainda mais teimosa.

Algo que nunca devemos fazer com o nosso Bulldog Francês é tentar nadar. A maioria destes cães não o consegue fazer. Devido à anatomia do seu corpo – cabeça muito pesada e desproporcional ao corpo – e aos problemas respiratórios comuns a esta raça devemos ter uma atenção redobrada num passeio à beira mar, rio ou piscina.

O Bulldog Francês é uma raça braquicefálica o que significa que têm o focinho achatado: possuem um maxilar inferior normal, proporcional ao seu tamanho corporal, e um maxilar superior recuado.

Esta característica além de comprometer o seu sistema respiratório, acaba também por torná-los mais susceptíveis às temperaturas muito elevadas, pois não conseguem regular a sua temperatura corporal tão eficazmente.

Excesso de peso:
Este é um cão que tem tendência para ganhar peso, pois não gosta de muita atividade física. É, por isso, essencial que tenhamos especial atenção à sua alimentação.

Limpeza da pele:
Devemos estar atentos às suas rugas, limpando-as frequentemente. Se as limparmos com toalhitas próprias ou  com soro fisiológico e gaze evitaremos o aparecimento de alergias e infeções.

Outros cuidados a ter em atenção:

  • Não forçar o exercício físico. Um passeio de 15 minutos já pode ser exigente para esta raça pouco dada a atividades.
  • A maioria dos Bulldogs Franceses não consegue nadar, portanto devemos ter sempre atenção quando perto da água.
  • Ter atenção quando temos temperaturas acima dos 25º. O Bulldog Francês sofre facilmente de hipertermia – aumento da temperatura do corpo acima dos valores normais.

#NewPetClub       #EverythingForYourBestfriend

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *